São Bernardo, * *

COLÔNIA DE FÉRIAS

Campanha Salarial 2018: Metalúrgicos querem barrar trabalho intermitente

Confira um balanço das rodadas de negociação desta semana

Por: Administrador - Publicação: 10/08/2018
Foto: Marina Selerges

Foto: Marina Selerges
Imprimir Enviar para um amigo Twitter A+ A-

A Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT São Paulo, a FEM-CUT/SP, realizou durante esta semana mais quatro rodadas de negociação da Campanha Salarial 2018. Na quarta-feira, 08, se reuniu com Siniem (estamparia) e com o Grupo 2 (máquinas, equipamentos elétricos e eletrônicos). Já na quinta-feira, 9, as rodadas aconteceram com as bancadas do Grupo 8-3, composto por Sinafer, Simefre e Siamfesp e a bancada do Grupo 3 (Autopeças, parafusos e forjaria). “As rodadas desta semana foram marcadas por debates em torno de garantias que a Convenção Coletiva pode proporcionar ao trabalhador contra a retirada de direitos causadas pela reforma trabalhista”, explicou Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, presidente da FEM-CUT/SP.

Durante as rodadas desta semana, as bancadas debateram de forma profunda a cláusula que trás garantias ao trabalhador em vias de aposentadoria. “Esta cláusula foi inserida na convenção quando só havia a aposentadora por tempo de contribuição e isso começou a mudar a partir de 1997”, explicou Luizão. “Hoje temos o fator previdenciário, a aposentadoria especial, por idade, por tempo de contribuição e as garantias contidas na cláusula deve acompanhar essas mudanças e de fato proporcionar segurança para o trabalhador”, afirmou.

Outra pauta bastante discutida foi os novos regimes de contratação, a exemplo da jornada intermitente. “A Convenção Coletiva tem esta função, de garantir direitos que não estão previstos em lei aos trabalhadores”, destacou Luizão. “Os patrões insistem em não mencionar qualquer veto a estes tipos de contrato para ficarem livres para aplicar as maldades da reforma trabalhista”, afirmou o dirigente. As negociações seguem nas próximas semanas.

Campanha Salarial 2018

Relembrando a trajetória do golpe até a concretização da retirada de direitos, que envolveu agentes políticos, como o Congresso Nacional, o Poder Executivo e alguns empresários, a identidade visual da campanha traz consigo o fortalecimento dos Sindicatos como saída para a atual conjuntura: “Se você acha que o Sindicato pode fazer mais, faça com a gente!”. A FEM-CUT/SP representa aproximadamente 194 mil metalúrgicos no estado. A data base é 1º de setembro.

 

 

Agência de notícias da  FEM-CUT/SP
imprensa@fem.org.br

Jornalista responsável: Marina Selerges

Siga-nos: www.twitter.com/femcut
Facebook: www.facebook.com/fem.cutsp

 


Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT/SP (FEM-CUT/SP)
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - São Bernardo do Campo-SP
CEP - 09726150
Contato + 55 11 4122-7714


Hoje: Visitantes / Acessos