São Bernardo, * *

COLÔNIA DE FÉRIAS

ABC: Assembleia dá início a Campanha Salarial em busca de aumento real

Categoria promete unidade e resistência por manutenção de direitos e aumento real

Por: Administrador - Publicação: 10/07/2018
Imprimir Enviar para um amigo Twitter A+ A-

Metalúrgicos e metalúrgicas do ABC conheceram na noite da última quinta-feira, 5, os eixos da Campanha Salarial 2018. Na sub sede da entidade, em Diadema, trabalhadores/as de todos os grupos aprovaram as pautas que nortearão a Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT São Paulo, a FEM-CUT/SP, durante as negociações da Campanha Salarial. 


2018 será marcada como a primeira data-base após a Reforma Trabalhista ter entrado em vigor e para enfrentar a nova realidade, os metalúrgicos da região do ABC prometeram unidade e luta para garantir a manutenção dos direitos e da Convenção Coletiva de Trabalho. “Ano passado foi duro. Resistimos. Esse ano sabemos que os patrões querem ainda mais”, alertou Andrea Sousa, secretária da Mulher na FEM-CUT/SP. “Nós sabemos que campanha não se resolve apenas na mesa, campanha se resolve com unidade, organização e muita luta dos trabalhadores na base”, ressaltou. Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão, presidente da FEM-CUT/SP, complementou “Esta campanha representa muito para nós, para reforçarmos ainda mais a nossa união. Ninguém aqui pode resistir sozinho. Queremos que os trabalhadores/as que estão descontentes com a atuação dos sindicatos venham construir a resistência junto conosco”, fazendo menção ao slogan da Campanha Salarial – Se você acha que o sindicato pode fazer mais? Resista e faça com a gente!
 

Eixos
Luizão apresentou os eixos da Campanha Salarial 2018. “O 1º é ‘Convenção Coletiva é direito’. As cláusulas sociais são a resistência em defesa das conquistas para impedir a reforma Trabalhista”. O 2º eixo é ‘Participação é democracia’, o 3º, ‘Salário é emprego’, os patrões prometeram que gerariam empregos com a reforma e até agora nada. O aumento injeta dinheiro na economia e automaticamente gera empregos, e o 4º, ‘Reposição integral da inflação e aumento real’. “A FEM-CUT, se tiver o apoio da categoria, só vai assinar acordo que tenha aumento real”, defendeu Luizão. Aroaldo Oliveira da Silva, secretário geral do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, alertou que todos têm que contribuir com a nossa campanha “Cada um e cada uma que está aqui tem a tem a tarefa de mobilizar os seus companheiros nas fábricas para se unirem com a gente na construção desta campanha”.

Agência de notícias da  FEM-CUT/SP
imprensa@fem.org.br

Jornalista responsável: Marina Selerges

Siga-nos: www.twitter.com/femcut
Facebook: www.facebook.com/fem.cutsp

 


Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT/SP (FEM-CUT/SP)
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - São Bernardo do Campo-SP
CEP - 09726150
Contato + 55 11 4122-7714


Hoje: Visitantes / Acessos