São Bernardo, * *

COLÔNIA DE FÉRIAS

A inserção das mulheres no Ramo Metalúrgico: uma década de avanços, desigualdades e lutas

Confira o estudo realizado pela subseção do DIEESE na FEM-CUT/SP e CNM/CUT

Por: Administrador - Publicação: 14/03/2017
Imprimir Enviar para um amigo Twitter A+ A-

Um estudo divulgado pelo Dieese, subseção FEM-CUT/SP e CNM/CUT, aponta que as mulheres na base da FEM-CUT/SP ainda ganham 27,5% menos do que os homens, essa diferença salarial equivale a trabalhar 100 dias do ano sem remuneração. Comparando 2006 com 2015, a remuneração média geral real cresceu 16,2% para as mulheres, e o salário médio passou de R$ 2.803,60 para R$ 3.257,38; já a dos homens cresceu 7,8%: era R$ 4.168,81 em 2006 e passou para R$ 4.494,90 em 2015. 

Confira o estudo na integra:

 

 

Agência de notícias da  FEM-CUT/SP
imprensa@fem.org.br

Jornalista responsável: Marina Selerges

Siga-nos: www.twitter.com/femcut
Facebook: www.facebook.com/fem.cutsp

 


Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT/SP (FEM-CUT/SP)
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - São Bernardo do Campo-SP
CEP - 09726150
Contato + 55 11 4122-7714


Hoje: Visitantes / Acessos