São Bernardo, * *

COLÔNIA DE FÉRIAS

13º salário: Metalúrgicos da CUT injetarão R$ 991,3 milhões na economia

Na base da CNM/CUT, o valor chegará a R$ 2,51 bilhões

Publicação: 11/11/2014
Imprimir Enviar para um amigo Twitter A+ A-

O 13º salário dos quase 248 mil metalúrgicos na base da FEM-CUT/SP injetará cerca de R$ 991,3 milhões na economia paulista. A Federação tem 14 sindicatos filiados no Estado. Os dados são do levantamento da Subseção do Dieese da FEM-CNM/CUT divulgados na segunda-feira (10). Segundo o estudo, elaborado pela economista Caroline Gonçalves, o valor injetado pela FEM-CUT/SP com o 13º representa 13,6%, do total do Brasil que é 7,3 bilhões.

A Subseção do Dieese explica que a estimativa feita leva em conta dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), ambos do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). “Para obter o número total de trabalhadores metalúrgicos foi utilizada a RAIS 2013 complementada por atualização do Caged até o mês de setembro de 2014 e para fins de cálculo da remuneração média também foi utilizada a RAIS 2013 com atualização dos valores através da variação do INPC-IBGE até setembro de 2014”, conta Caroline.

O estudo tem como base os dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), ambos do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Para obter o número total de trabalhadores metalúrgicos foi utilizada a RAIS 2013 complementada por atualização do Caged até o mês de setembro de 2014 e para fins de cálculo da remuneração média também foi utilizada a RAIS 2013 com atualização dos valores através da variação do INPC-IBGE até setembro de 2014.

Para efeito do cálculo, o DIEESE não considera os autônomos, assalariados sem carteira ou trabalhadores com outras formas de inserção no mercado de trabalho que, eventualmente, recebem algum tipo de abono de fim de ano, nem os valores envolvidos nesses abonos, uma vez que esses dados são de difícil mensuração. Também não é considerado, por este estudo, o adiantamento da primeira parcela do 13º salário ao longo do ano, uma vez que funcionários de muitas empresas recebem parcialmente o pagamento do 13º no momento em que tiram férias. Não são também contabilizados os casos de categorias que o recebem antecipadamente por definição, por exemplo, de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) ou Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

Regiões da base FEM
Dos R$ 991,3 milhões que serão injetados na economia paulista, as distribuições dos valores concentram-se no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (R$ 461,2 milhões); na sequência vem Sorocaba (R$ 167,2 milhões); Taubaté (R$ 86,4 milhões) e Itu (R$ 51,2 milhões). “O montante injetado em comparação ao ano de 2013 teve um crescimento de 6,7%. É importante destacar que são considerados todos os municípios que compõem as bases dos sindicatos”, explica Caroline.
A economia paulista deverá receber, até o final de 2014, a título de 13° salário, cerca de R$ 46 bilhões, aproximadamente 29,2% do total do Brasil e 57,4%  da região Sudeste.  Esse montante representa em torno de 2,7% do PIB estadual.

Brasil
Na base da  CNM/CUT, que  representa 837 mil trabalhadores, o valor do pagamento do 13º Salário é de R$ 2,51 bilhões.
De acordo com o economista da Subseção do Dieese na Confederação, André Cardoso, o montante é 9,6% maior do que o total pago em 2013 e representa 34,5% do que será pago a todos os metalúrgicos no país.

Confira os estudos da:

Viviane Barbosa, da Redação da FEM - última atualização às 12h39 do dia 11 de novembro

Agência de notícias da  FEM-CUT/SP
imprensa@fem.org.br

Jornalista responsável: Marina Selerges

Siga-nos: www.twitter.com/femcut
Facebook: www.facebook.com/fem.cutsp

 


Federação dos Sindicatos de Metalúrgicos da CUT/SP (FEM-CUT/SP)
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - São Bernardo do Campo-SP
CEP - 09726150
Contato + 55 11 4122-7714


Hoje: Visitantes / Acessos